LIVRO: Julieta - Anne Fortier

quinta-feira, maio 14, 2015

E ainda em ritmo de *festa* pelo aniversário do nosso bloguinho, apresento a segunda categoria nova a entrar em cena: Tchanaaaã...LIVROS! Quem curtiu levanta a mão! o/ A Pessoa de Letras que vos escreve estava praticamente em dívida por não falar sobre essa paixão por aqui!

E para dar partida, escolhi um dos meus livros favoritos: Julieta, de Anne Fortier. Esse é o seu livro de estreia e a autora já começa com o pé direito. Num estilo Dan Brown de mistérios e pistas,mesclando a consagrada trama de Shakespeare,Anne Fortier prende o leitor à história do começo ao final e é impossível não amar.

Sinopse:
"Julie Jacobs e sua irmã gêmea, Janice, nasceram em Siena, na Itália, mas desde os 3 anos foram criadas nos Estados Unidos por sua tia-avó Rose, que as adotou depois de seus pais morrerem num acidente de carro. 

Passados mais de 20 anos, a morte de Rose transforma completamente a vida de Julie. Enquanto sua irmã herda a casa da tia, para ela restam apenas uma carta e uma revelação surpreendente: seu verdadeiro nome é Giulietta Tolomei. 

A carta diz que sua mãe havia descoberto um tesouro familiar, muito antigo e misterioso. Mesmo acreditando que sua busca será infrutífera, Julie parte para Siena. 

Seus temores se confirmam ao ver que tudo o que sua mãe deixou foram papéis velhos – um caderno com diversos esboços de uma única escultura, uma antiga edição de Romeu e Julieta e o velho diário de um famoso pintor italiano, Maestro Ambrogio. Mas logo ela descobre que a caça ao tesouro está apenas começando. 

O diário conta uma história trágica: há mais de 600 anos, dois jovens amantes, Giulietta Tolomei e Romeo Marescotti, morreram vítimas do ódio irreconciliável entre os Tolomei e os Salimbeni. Desde então, uma terrível maldição persegue essas duas famílias. 

E, levando-se em conta a linhagem e o nome de batismo de Julie, ela provavelmente é a próxima vítima. Tentando quebrar a maldição, ela começa a explorar a cidade e a se relacionar com os sienenses. À medida que se aproxima da verdade, sua vida corre cada vez mais perigo."
Capa atual. (Imagem: via)

Uma grande sacada do livro é trazer essa releitura do clássico com uma linguagem leve, colocando lado a lado a história de um amor vivido há séculos e o amor vivido por uma mulher moderna que está no caminho para a busca de sua identidade. Mostrando que o amor é um sentimento atemporal.

Anne Fortier entra para o time de autores que bebem das fontes shakesperianas, baseando seu livro Julieta de 2010 na peça secular Romeu e Julieta, escrita entre 1591 e 1595. O interessante é que os títulos dos capítulos começam com trechos de Romeu e Julieta, pequenas frases para identificar a ideia que a autora quer trazer para aquela parte do romance. 

I.II
Mas pode puxar a sua arma -
Lá vem o pessoal dos Montéquios.


IV.II
Que diz? Será capaz de amar a ele?
Hoje à noite irá vê-lo em nossa festa.
 Abas:
"Julieta é um desses romances raros aos quais não falta nada: narrativas paralelas bem amarradas, intrigas, detalhes históricos, tudo num cenário de perigo iminente. Anne Fortier joga uma nova luz sobre uma das maiores histórias de amor do mundo.” – Sara Gruen, autora de Água para elefantes 

Julie Jacobs é uma moça reservada e solitária. Ainda criança, perdeu os pais num terrível acidente de carro e foi criada por sua tia-avó Rose. Durante toda a vida, Julie teve problemas de relacionamento com Janice, sua insuportável irmã gêmea, e a pessoa de quem se sentia mais próxima era Umberto, o fiel mordomo de Rose. 

É ele que vai ao seu encontro para dar a triste notícia da morte da tia e lhe entrega uma carta com uma revelação bombástica: seu verdadeiro nome é Giulietta Tolomei. A carta diz também que, antes de morrer, sua mãe descobrira um antigo tesouro de família e, ao que parece, algo muito valioso ainda está escondido em Siena. 

Embora descrente, Julie viaja para sua cidade natal a fim de recuperar a herança da mãe. Ao chegar lá, encontra apenas objetos velhos, aparentemente sem valor. Ela também conhece algumas pessoas, quase todas adoráveis, com exceção de Alessandro, de quem desgosta de cara. 

Lendo um velho diário que encontrou entre os pertences da mãe, Julie descobre que sua família, os Tolomei, tem uma antiga inimizade com os Salimbeni e que essa rixa provocara uma tragédia que atravessou os séculos – e que Shakespeare tornou mundialmente famosa ao escrever Romeu e Julieta. 

Quanto mais fundo ela mergulha na história de seus ancestrais, Romeo e Giulietta – e de sua própria família –, e quanto mais perto chega do tesouro supostamente deixado pela mãe, maiores são os riscos que a cercam. 

Pouco a pouco Julie, ou Giulietta, vai perceber que, nessa cidade, passado e presente parecem indissociáveis. E que nem sempre se pode ter certeza de quem é ou não confiável."

 Capa antiga. (Foto:via)

Trecho:
"AO ME DEITAR nessa noite, comecei de imediato a ter um sonho recorrente que havia meses não tinha, mas que fizera parte da minha vida desde a infância. No sonho, eu andava por um castelo magnífico, e abria uma porta dourada atrás da outra, perguntando a mim onde estavam todos. A única luz provinha de estreitas janelas de vitral lá no alto,muito acima da minha cabeça,cujos feixes de luz colorida  pouco ajudava a iluminar os cantos escuros à minha volta. 

Ao atravessar aqueles vastos aposentos, eu me sentia como uma criança perdida na floresta e ficava frustrada por sentir a presença de outras pessoas, sem que elas jamais se mostrassem a mim. Quando eu ficava quieta, podia ouvi-las murmurando e esvoaçando para lá e para cá, como fantasmas. No entanto, se eram mesmo seres etéreos, ainda estavam tão aprisionados quanto eu, à procura de uma saída. 

Somente ao ler a peça, quando estava no ensino médio, descobri que aquilo que os demônios invisíveis sussurravam eram fragmentos de Romeu e Julieta, de Shakespeare – não como atores declamando os versos no palco, mas os resmungando com serena intensidade, como um feitiço. Ou uma maldição."

(Anne Fortier - Julieta, pág. 35)

Minha opinião: Já comecei falando que é um dos meus livros favoritos,né? Então,com certeza recomendo a leitura.Mesmo sendo um livro grande, com 400 páginas,traz uma leitura bem fácil e leve. Vai agradar tanto aos fãs da história original, quanto aos leitores que apreciam mistérios, suspense e, claro, uma boa história de amor. 


You Might Also Like

0 comentários

Ei, deixe seu comentário! Sua opinião faz a diferença por aqui. Se tem um blog,pode colocar seu link para eu retribuir a visita, mas não faça SPAM,hein.

Comunidades